Moda continua a crescer no e-commerce

Considerada uma das áreas que dita o ritmo da economia mundial, a categoria de moda vai além de uma tendência que acontece no momento e registra, a cada ano, uma perspectiva crescente e otimista para o comércio eletrônico no País. Nadando contra a maré da recessão, o varejo no segmento da moda continua em progresso e, segundo a E-bit, o setor lidera em vendas no e-commerce brasileiro desde 2013, o que mostra o sucesso desse mercado na internet. Em 2015, apesar da crise financeira, as vendas online da categoria concentraram 14% de participação de volume de pedidos.

 

A evolução desse setor do varejo também é comprovada pela Euromonitor. De acordo com o levantamento da empresa, o Brasil está consideravelmente aquecido quando o assunto é o comércio de roupas e acessórios de moda, e configura em 5º lugar no ranking mundial de investimentos. Complementando o seu estudo, a consultoria afirma que o País nunca vendeu tanto como nos últimos 10 anos, chegando a um valor de R$140 bilhões em 2013.

 

Democrático, o setor tem se destacado muito no meio digital, desde grandes fast fashions, até e-commerces que começaram a pouco tempo e, consequentemente, também mostra-se como um dos mais promissores para investimentos. Isso significa que ele pode dar um retorno significativo se o negócio for direcionado ao público escolhido corretamente e adotar estratégias para impactá-lo positivamente.

 

A moda lidera em vendas porque o setor é amplo e existem diversos nichos, sendo segmentações de categorias. Estes segmentos são importantes para que os usuários busquem por produtos mais específicos. Nesse cenário, temos como exemplo o e-commerce de moda fitness e cliente Yourviews, Labellamafia. A marca se tornou um caso de sucesso depois que passou a ver com outros olhos a boa e velha roupa de ginástica, e produzir peças que aliam conforto, estilo e atitude. Atualmente, tem sede nos EUA, Espanha e México, mais de mil pontos de venda no Brasil e pelo menos 200 no exterior.

Crescimento no mobile

Com um mercado cada vez mais desenvolvido, nada mais natural que o tráfego mobile também ganhe destaque. É o que indica o estudo H1 2016 State of Mobile Commerce Report, da Criteo. Comparando o segundo trimestre de 2015 com o mesmo trimestre de 2016, “Moda” registrou 39% de crescimento, enquanto “Saúde e Beleza” e “Casa” alcançaram 32% e 18%, respectivamente.

 

Além da comprovação de que no ranking de vendas nacional a moda continua no topo, o varejo eletrônico, de uma forma geral, cresceu mais de 20% nos últimos anos e, mesmo em meio às incertezas dos rumos da economia, o setor ainda registrou um aumento de 8% em 2016 e não dá nenhum sinal de desaceleração tão forte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *